Elias João

"Jesus Cristo a Luz do Mundo"

Textos




“JONH E A CAPTURA DE UM ET”.
 
CAP XIII

 
No capítulo anterior,
 
Morgan, este não tem como fazer vigilância, pois, dorme a noite inteira e podem seguir raios e trovões, terremotos e até maremotos, mas, não acorda nem que a “vaca tussa”, a verdade é esta.

- Jonh até já pensou em dispensá-lo, mas, terá uma perda no trabalho braçal, pois, Morgan se mostrou muito eficiente nesse tipo de trabalho, é muito rápido e eficiente. Então, não comenta nada sobre isto com ele, para não agravar a situação. Assim continuará tolerando até que chegue a hora certa. Mas, até que é uma pessoa boa gente, não incomoda em tempo algum.
 
-Assim Jonh segue sua rotina diária, dividindo o seu tempo entre as coisas do dia a dia e a sua pesquisa sobre as criaturas e assim que tiver novos contatos, continuará a sua aventura...
 
Desta forma,
 
-Jonh estava com os seus afazeres em atraso, o mato estava crescendo em seus pastos, as suas árvores frutíferas estavam por serem podadas e o mato estava tomando conta do pomar. Então Jonh vai até a casa de Morgan e o convida para tomarem providências e com sua ajuda fazerem os serviços necessários na fazenda.
 
-Numa bela tarde, após o cansaço de um dia inteiro de trabalho, estavam os dois por debaixo da sombra de uma frondosa mangueira, quando de repente houve um estrondo lá pelas bandas do Paiol, onde ainda guardavam os mantimentos e ferramentas utilizadas no dia a dia. Eles correram apressadamente e ainda estava fumegando, era uma fumaça no local. Jonh se aproxima e Morgan veio logo atrás e verificaram que tinham dois seres estranhos sentados em uma espécie de máquina voadora, mas, não era nenhum avião e nem helicóptero. Eles observam que as criaturas não se moviam e parecia estar em estado de choque. Imediatamente Jonh e Morgan resolvem que deveriam retirá-los dali. Fizeram isto e os aprisionaram por cautela dentro de um cômodo sem janelas, para que os mesmos não tentassem fugir.
 
-Jonh e Morgan tinham certeza de que se tratava de um “ET”, para ser mais preciso. Quanto ao objeto, não era grande e nem muito pequeno. As criaturas eram de estaturas relativamente baixas, mais ou menos 1,40 a 1,50, não mais do que isso e tinham umas cabeças enormes e grandes olhos e orelhas de abano. Eram muito feios mesmo. Dentro de suas bocas não haviam dentes e sim uma espécie de cerdas, muito parecidas como de alguns peixes e também a sua respiração era através de brânquias.
 
-Jonh pediu a Morgan que ficasse fazendo vigília e se tivesse alguma novidade, comunicasse imediatamente. Morgan em seguida, após umas 2 horas percebeu que as criaturas estavam se despertando e correu ao Jonh e o avisou do ocorrido. Imediatamente Jonh saiu correndo e quando saia com muita pressa levou um tombo logo na saída da porta da sala e bateu a cabeça no portal e saiu xingando a todos, inclusive Morgan que começou a zombar dele pela bonita queda.
 
-Chegando no local, Jonh ficou parado olhando aqueles homenzinhos feios e olha para Morgan e diz: se parecem com você Morgan. Morgan faz uma cara de quem não gostou nada da brincadeira e faz um gesto de dar banana para Jonh. As criaturas abriram os olhos e assim , aconteceu de uma luz de uma claridade imensa invadiu o Paiol e tudo ficou azulado e eles estavam em estado de metamorfose. Se transformavam em seres iguais aos humanos. Jonh não estava acreditando e Morgan babava, não se sabe se era de admiração ou se estava com medo. O certo é que Jonh presenciou tudo aquilo e em seguida os homenzinhos cresceram e ficaram do tamanho de jonh e Morgan. Inclusive estavam falando a mesma língua dos humanos, com um certo sotaque, mas, Jonh e Morgan estavam entendendo tudo. “Diziam que teriam que sair daquele local, pois, a nave mãe estava prestes a acoplar e isso levaria algumas horas e eles olhavam para o teto e apontavam”. Jonh e Morgan estavam apreensivos, pois, acabou de receber informações de que estavam a caminho mais criaturas. Eles travaram as portas do Paiol e foram avisar as autoridades ou seja lá quem fosse, isso não era coisa para que eles fossem resolver, pois, não tinham recursos necessários para impedir uma invasão vinda do espaço.
 
-Jonh e Morgan fazem o que podem, telefonam para as autoridades competentes, enviou e-mail para outras autoridades que se interessariam no caso, porém, após uma 5 horas, ninguém apareceu e nem recebeu respostas dos e-mails enviados.
 
Jonh e Morgan voltam ao local e deparam com outra transformação, agora ao invés de 2 haviam 4 ETS, parece que ele se reproduzem muito rápido e o crescimento deles é assustador, o processo de maturação celular é muito rápido, “talvez tenha algo a ver com a nossa atmosfera” disse Morgan. Jonh exclama: porra Morgan, só você mesmo para concluir tal assertiva. Morgan fica danado da vida e solta um murro na porta do Paiol e xinga. “ Porcaria de “extraterrestres, malditos animais”, porque isto está acontecendo justamente com a gente Jonh? Jonh fica um pouco calado e pensativo e se afasta do local, mas, sempre fitando a porta do Paiol, pois, ele acha que as criaturas estão juntando forças com intuito de se escaparem dali, mas, como a porta era extremamente grossa e pesada, Jonh acredita que eles não conseguirão escapar com facilidade, mas mesmo assim , pede ajuda a Morgan , para que reúnam  um monte de pedras na porta do Paiol, com a finalidade de impedir que eles possam abrir a porta, pois, ela se abre para fora e com as pedras impedindo a passagem eles não conseguirão sair. Mas, após terminarem o trabalho, ainda ficaram por ali algum tempo e somente observando por uma fresta existente numa das tábuas, e para sua surpresa, logo pela tarde ele já estavam em um número de 8 ets. “Isto era incrível”, dizia Jonh, mas, Morgan só olhava com aquela cara amassada e cabeça de batata, não dizia nada.
 
Agora, que já estava quase anoitecendo, Jonh e Morgan saem do local, mas, de longe observam a movimentação dentro do Paiol e parecia que estavam conversando e havia uma luz lá dentro e oscilava de vez em quando. Jonh passou a noite inteira observando aquele movimento, porém, Morgan nem foi para sua casa e dizia que iria dormir por ali mesmo. Pelo jeito estava com medo, dizia Jonh.
 
-Logo pela manhã, Jonh faz uma vistoria no local e observando pela fresta notou que ali já tinha quase  20 "ets" e todos em forma de pessoas adultas e semelhante a humanos.
 
-Jonh ainda não havia visto algo parecido e nem Morgan, mas, sempre deve existir a primeira vez e esta era a vez deles poderem ver aquilo.
 
-Jonh e Morgan estavam a uns 10 metros do Paiol e não queriam chegar mais perto, mas, subtamente sobre suas cabeças, eis que aparece uma enorme sombra, jonh levantou as vistas para o alto e notou que se tratava de uma outra máquina voadora, era assim que ele falava, mas não fazia barulho nenhum e não tinha fumaça e se deslocava muito rápido. Esta máquina voadora se posicionou em cima do Paiol e uma luz de cor verde,azul e vermelha em forma de facho parece que estava sugando os ets. Foi coisa rápida demais, questão de 10 a 20 segundos e voou como um risco no céu rumo ao cosmos.
 
-Jonh e Morgan correram para o paiol, mas, não conseguiram entrar, pois, a entrada estava bloqueada, tentaram por cima, mas, era bastante alto. Buscaram uma escada e foram ao telhado e notaram que o mesmo estava danificado e quase um metro quadrado de telhas haviam sido retirados, mas, não havia vestígios de cacos por ali. Intrigante esta história e mais interessante é que não ficaram vestígios no local.
 
Jonh e Morgan desceram utilizando cordas, porém, nada de vestígios das criaturas, assim, resolveram retornar e o mistério continua, pois, nem Jonh e nem Morgan fazem idéia do que aconteceu naquele Paiol durante o período em que estas criaturas estiveram no planeta...


Próxima aventura, cap. XIV - A INVASÃO ANUNCIADA
 
eliasjoao
Enviado por eliasjoao em 19/02/2021
Alterado em 03/03/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras